Novos Tempos, Novos Modelos de Varejo

No dia 08.03 fizemos o nosso segundo Talk da RetailBox com o tema de Novos Tempos, Novos Modelos de Varejo. Acompanhe os próximos encontros virtuais nos seguindo no Clubhouse!

Já salvem nos seus calendários o tema da semana que vem:
SEG. 15.03 - 20h: Lojas Inteligentes e Tecnologias no Varejo

Esperamos que gostem e se inscrevam!

1 · TALK DA SEMANA · Novos Tempos, Novos Modelos de Varejo

Mais do que qualquer outro setor, o varejo deve evoluir constantemente para permanecer relevante. 2020 foi o ano mais desafiador de que se tem memória, a pandemia global interrompeu nosso estilo de vida e comportamento de compra afetando diretamente na nossa rotina e prioridades. Com esses novos tempos de crise, o varejo precisou encontrar na necessidade de fazer algo novo: janelas de oportunidades que reinventassem a forma de comprar e consumir através de novos modelos de varejo.

Muito se foi falado em novos modelos e como o varejo poderia se adaptar ao novo cenário a às demandas do consumidor. Na NRF desse ano, o Hyperlocal e a implementação de Serviços no varejo físico foram centro de muitas pautas.

A ideia de comunidade ficou ainda mais evidente com a chegada da pandemia, trazendo discussões sobre novas maneiras de se relacionar, engajar e gerar mais impacto na vida do consumidor. E o cliente se mostra ainda mais exigente, ao comprar além de não tolerar falhas relacionadas à qualidade e ao atendimento, busca um sentimento de identificação com a marca. Uma marca que seja transparente, que compreenda a sua realidade e ainda proporcione uma conexão, segurança e confiança. Os serviços, nesse sentido, entram para completar um ecossistema de solução para o consumidor no formato de experiências no ponto físico.

.

HYPERLOCAL: É NOVIDADE?

Já começamos o nosso bate-papo com uma colocação muito importante do Antônio Lucio. A preocupação com local sempre existiu. Os grandes supermercadistas já utilizavam dessa estratégia para implementar serviços em seu entorno que a comunidade demandava, com um foco na conveniência em ser uma central de soluções. Hipermercados com serviços de alimentação, farmácias, lavanderias, costureiras… são parte de uma realidade antiga e atual.

Hoje, todavia, é tempo do hyperlocal: mais local do que nunca. As pessoas querem ter os serviços a alguns passos de distância. E para que todos os serviços e produtos estejam nesse raio de disponibilidade, os varejistas precisariam colaborar entre si para oferecerem um ecossistema de soluções para os clientes. Além de proporcionar mais conveniência para o cliente, parcerias podem se tornar uma outra fonte de receita significativa para os varejistas. Nos Estados Unidos, a rede Walgreens aproveita da sua alta capilaridade para ser parceira do FedEx como um ponto de coleta e retirada de mercadorias.

O hyperlocal também trás a tona a importância de conhecer mais profundamente o perfil da comunidade em que o comércio está inserido, para melhor atender as demandas e se conectar com os consumidores. É como se pensássemos no modelo GLOCAL, em que se adapta estratégias globais para as preferências locais (melhor exemplo disso são as versões do BigMac mundo afora), mas em um âmbito micro de uma cidade e seus bairros.

Cesar Tanaka, que trabalhou muitos anos na expansão das Arcos Dourados, a gestora do McDonald’s no Brasil, comentou que na rede sempre existiu a figura do LSM - Local Store Marketing. Esse profissional tinha o objetivo de promover o negócio McDonald’s em meio a comunidade, convidando escolas a fazer passeios nos restaurantes, por exemplo. Super importante implementar esse escopo de atividade dentro do organograma dos varejistas.

Já refletiu quem seria esse (ou esses) profissional dentro da sua empresa?

.

SERVIÇOS E SOLUÇÕES

Serviços podem ser vistos como a nova experiência ou novo produto dentro dos varejistas. Há diversas maneiras de criar serviços e ainda conseguir fidelizar os clientes. Algumas soluções são:

Subscrição: um produto que as pessoas pagam uma recorrência mensal. Ex: Petlove
Auto Refil: agendamento para refil automático. Ex: Shopper - compras inteligentes
Memberships: clube de benefícios exclusivos. Ex: Baby Concierge

A Nordstrom Local, que se tornou o maior case de hyperlocal e serviços ao cliente na NRF desse ano, trouxe algumas soluções que não demandam alta complexidade de implementação, como: (1) Serviços de Costura, (2) Easy Online Order Pickup; (3) Easy Returns & Exchanges e (4) Free Styling Help.

No Brasil, a rede de moda masculina Casa Prado, possui uma costureira em seu quadro de funcionários de loja, preparada para ajustar as roupas dos clientes em até 2h. Serviço super necessário pois, afinal de contas, a necessidade do cliente não é ter o terno, e sim usar o terno! E da Casa Prado ele sai com isso solucionado: ready to wear.

Se você tem um exemplo de empresa local que ofereça serviços relevantes, compartilhe conosco nos comentários!


2 · REFLEXÕES ·

Será que não estamos revisitando modelos de varejo que já eram usados há muito tempo?

Na nossa visão, essa resposta é um com certeza! Estamos retomando a importância do contato humano, a necessidade do cuidado e uma aproximação muito maior com o consumidor. Afinal, nada mais normal do que conhecer seu entorno e as demandas do seu cliente para atendê-lo da melhor forma.

Queremos provocar uma ação prática que os varejistas pensem em:

Por que minha marca existe e como eu sou visto na minha comunidade?
Qual tipo de necessidade da minha comunidade eu posso atrelar como solução no meu negócio? 
Quais serviços eu posso implementar na minha loja que sejam alinhados ao propósito da minha marca?

Nossas dicas são: (1) Entender o segmento de clientes que atua; (2) Desenhar a jornada do cliente e (3) Desenhar serviços e experiências que se conectem com a comunidade e as necessidades do consumidor.


3 · RETAIL NEWS ·

Reunimos algumas notícias da semana que tem tudo a ver com o tema!

COLLAB ENTRE BRECHÓ REPASSA E MARCA INTIMISSIMI ESTIMULA REÚSO DE ROUPAS

Essa semana o brechó online Repassa firmou uma parceria com a marca italiana de lingerie e varejista Intimissimi. Apostando na sustentabilidade e no consumo consciente a collab objetiva dar uma nova utilidade às peças de roupas que estão sem uso nos guarda-roupas dos consumidores. A ação prevê a distribuição gratuita de 2 mil sacolas para clientes que comprarem acima de R$ 450, via e-commerce, incentivando o aumento do ciclo de uso das peças como forma mais eficiente de diminuir os impactos ambientais. Leia na íntegra

Fonte: Mercado&Consumo

AMAZON INTEGRA 50.000 PEQUENOS VENDEDORES NO PROGRAMA ‘‘LOCAL SHOPS’’

O programa hiper local da Amazon Índia para varejistas off-line e lojas de bairro para atender clientes próximos alcançou mais de 50.000 vendedores em 450 cidades em menos de um ano de lançamento. Os pequenos vendedores disponibilizam além de alimentos também flores, produtos para casa e cozinha, móveis, eletrônicos, livros, brinquedos, etc. Leia na íntegra

Fonte: FinancialExpress

Gostou?! Inscreva-se aqui e nos ajude a compartilhar!

Até semana que vem!

Laís e Marcelle.